Borzoi

Origem: RússiaBorzoi

Tamanho: Grande

Área de criação: Grande

Temperamento: Equilibrado

Atividade física: Moderada

 

O Borzoi é conhecido desde a Idade Média na Rússia, onde era a raça preferida pelos nobres na caça a lobos e em corridas. Nos séculos XV e XVI cruzamentos com outras raças foram feitos com o objetivo de aumentar o tamanho e a pelagem, melhorando o desempenho nas caçadas em clima frio.

A crônica francesa do século XI testemunha que três Borzóis seguiram a filha do Grande Duque de Kiew, Anna Iaroslavna, quando ela chegou à França, para se casar com Henrique I. Entre os proprietários e os criadores, havia muitas pessoas célebres, incluindo os Tzars e os poetas: Ivan “O Terrível”, Pedro “O Grande”, Nicolas II, Pouchkine, Tourgueniew.

No início do século XIX havia sete variações distintas de Borzoi na Rússia. A que mais se assemelhava ao padrão actual da raça era o Perchino, criada pelo grão-duque Nicolai Nicolayevitch. Naquela época, o czar russo tinha como costume presentear seus visitantes com exemplares de Borzoi. Durante a Revolução Russa, muitos Borzois foram mortos porque eram intrinsecamente relacionados com a nobreza e a aristocracia.

Os exemplares remanescentes conseguiram propagar a raça, e, levado para os Estados Unidos, o Borzoi rapidamente adquiriu o status de cão glamouroso, freqüentemente visto ao lado de celebridades do cinema.

O seu nome vem da palavra russa que significa “rápido”. Ao contrário da maioria dos cães, que usa o faro para rastrear, o Borzoi tem na visão seu sentido principal. Esse alto cão, que quase não sofreu mudanças em 100 anos, é de índole reservada, mas adora caçar. Na Europa, salvo raras exceções, é considerado como exclusivamente cão de luxo. Mantido na inatividade mais completa, perdeu as suas qualidades combativas tradicionais. Foi usado algumas vezes para a caça da raposa e da lebre; mas, principalmente nestas últimas, demonstrou poucas aptidões; a pequena presa não corresponde à importante estatura e peculiar constituição do borzói, desenvolvido para a caça de lobos.

Conhecido também como Russian Wolfhound, foi apresentado pela primeira vez numa exposição em 1891, na Inglaterra. 

Borzoi2Pode-se dizer que a personalidade do Borzoi combina bem com sua origem aristocrática. É um cão de uma elegância singular e de temperamento único. Como a maioria dos cães da família dos sighthounds (que inclui os Afghans, Salukis e Whippets), é um cão inteligente, independente e sensível, que combina qualidades dos cães de caça e companhia de maneira peculiar. São muito discretos com pessoas estranhas e não são do tipo ´festeiro´ nem com as pessoas da família, apesar de, ao seu modo, serem extremamente amorosos com seus donos.

A sua independência não a indica para uma casa em que tenha que conviver com crianças, uma vez que pode se incomodar com suas brincadeiras. Se forem criados desde cedo em contato com crianças, o convívio pode ser melhor, no entanto, e até em função de seu tamanho (machos com no mínimo 70cm de altura) o contato deve ser sempre supervisionado por um adulto.

O Borzoi pode conviver bastante bem com outros cães e até mesmo com animais de outras espécies. O importante é que tenha sido acostumado desde cedo com eles para evitar problemas com o instinto caçador do Borzoi.

A paixão natural de um Borzoi por uma boa corrida faz com que não seja recomendado andar com um exemplar sem coleira. São cães bastante activos e que necessitam de espaço para serem exercitados e desenvolverem a musculatura adequada para a raça.

O Borzoi quando filhote é considerado um cão muito ativo e dinâmico, podendo vir a apresentar comportamentos destrutivos se não tiverem como extravasar sua energia. Por isso é fundamental que os filhotes tenham espaço para exercícios.

O ideal é que os cães sejam sempre exercitados em ambientes cercado (mais de 1,60m de altura) ou seguro, pois a qualquer momento ele pode resolver seguir seu instinto de caça e corrida e você pode acabar ficando sem o seu companheiro.

São cães sensíveis e de excelente memória, por isso as repreensões devem ser muito bem dosadas. Apesar de fugirem do estereotipo de cães “obedientes”, são capazes de rapidamente compreender o que pode e o que não pode.

A pelagem do Borzoi é encaracolada e longa. Apesar do aspecto viçoso, a pelagem não requer cuidados especiais para sua manutenção, mas é fundamental que sejam bem escovadas com frequência para que se possa evitar a formação de nós.

Todas as combinação de cores são aceites, menos com o azul, o castanho (chocolate) e todos os derivados dessas cores. A pelagem pode ter cores uniformes ou separadas em manchas sobre o fundo branco. As franjas, os culotes e a cauda em forma de penacho são consideravelmente mais claros do que a cor de fundo. Para as cores encarvoadas, a máscara preta é típica.

O Borzoi está propenso a apresentar torção gástrica. Esta doença caracteriza-se pela torção do estômago, causando compressão da circulação na região abdominal. Pode levar à morte, se o cão não for operado o mais rápido possível.

Outra característica especialmente grave para todos os cães deste grupo é a sensibilidade a anestesias, que devem ser muito bem estudadas pelos veterinários que cuidam de exemplares da raça.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes: anuariocaes.com.br / dogtimes.com.br

You may also like...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *