Ansiedade por separação

O que é a ansiedade por separação?

A ansiedade de separação é consequencia de uma grande ligação do cão ao dono ou a uma outra pessoa, ao ponto de não conseguir lidar com a auência do mesmo. Quanto maior a ligação entre o cão e a pessoa, maior será o problema. Por vezes ocorre quando o dono não está especificamente ausente, poderá estar numa outra divisão da casa.

Quando sozinho em casa, o cão exibe comportamentos diversificados, como por exemplo, a destruição de objetos, ladrar excessivo, urinar em casa ( mesmo que o cão seja limpo dentro de casa em outras situações), escavar..

Outros sintomas menos evidentes, mas também indicadores de uma alteração do seu bem-estar, pode ser a falta de apetite, salivação, hiperventilação,  vómitos, diarreia, auto-mutilação, tremores,ou ainda, andar de um lado para o outro ou ás voltas.

Normalmente quando saimos de casa, cumprimos uma série de rituais ( por exemplo: vestir o casaco, desligar a televisão, pegar nas chaves, calçar os sapatos…) , onde os cães aprendem a associar esses rituais com a saída do dono, começando então a ficarem ansiosos,agitados,eventualmente deprimidos, alguns até tentam evitar a saida do dono de forma agressiva.

Muitas das vezes, quando o dono regressa a casa, tem os tapetes ou sofás roídos / estragados, a porta da rua esgravatada…estes são alguns exemplos.

Esta situação é um problema sério e em alguns casos, dificil de resolver, afetando a qualidade de vida dos cães e dos seus donos. Pode inclusivamente ser causa de abandono, visto os donos não serem capazes de ultrupassar este problema.

Exige muita dedicação por parte do dono para resolver ou gerir esta situação, o que nem sempre se consegue solucionar por completo.

ansiedade1

Tipicamente os primeiros sinais de ansiedade por separação aparecem entre um e os dois anos de idade,que corresponde ao periodo de maturidade social, e no qual os sistemas neuronais passam por grandes alterações de desenvolvimento. No entanto, podem aparecer em animais mais novos ou mais velhos.

Tem sido constatado que este problema ocorre mais em machos do que em fêmeas. A questão da raça é variável consoante os estudos, no entanto existe uma maior prevalência em cães de raça indefinida, provenientes de refúgios ou abandonados.

Segundo estudos, os cães oriundos de familiares ou amigos tendem a apresentar uma menor tendência para este problema que os adquiridos em lojas de animais ou canis.

Isto faz sentido, na medida em que os cães obtidos através de refúgios ou lojas passaram já um periodo de “abandono” do que conheciam, não tendo forma de controlar o que lhes aconteceu.

Outros fatores indicados como causa da ansiedade por separação são periodos prolongados sem a separação do dono, ou pelo contrário, um periodo prolongado sem o dono, periodos de estadia em canil, mudança de casa ou periodo passado num refúgio para animais.

ansiedade2

Relação entre os fatores que influenciam a ansiedade por separação

 

Devido á ligação com o dono, a maioria dos cães que são deixados sozinhos em casa sofrem um certo nivel de stress e frustração. Num cão equilibrado, esta situação não causa problemas, porém em alguns cães este nível poderá superar um limiar, levando a comportamentos originados pela separação.

A frustração leva á perda de inibição de certos padrões comportamentais, por exemplo, o jogar com objetos apresentam elementos de comportamento predatório, mas será precedido por comportamento exploratório e irá levar a comportamento destrutivo, como roê-los ou rasgá-los. Este tipo de atividades são uma estratégia compensatória para lidar com o stress da situação.

Adicionalmente, a frustração irá excitar o cão, tendo como resultado a diminuição de resposta a estimulos extrenos e aumento do nível de atividade: explorar ou ladrar . Neste caso, o cão vai reagir muito mais depressa e intensamente a situações que seriam normais se o dono estivesse presente.

Poderá ainda apresentar reacções de medo, quer devido diretamente á ausência do dono, quer derivadas da frustração prolongada. Os sintomas de medo incluem o choramingar, o uivar, em alguns casos, salivação, hiperventilação e defecação ou urinar.

O risco de problemas de separação estará relacionado com as carateristicas individuais do cão, influenciadas pela sua raça e sexo, e pelas atitudes do dono em relação ao cão. Estas carateristicas afetariam o comportamento por separação de 2 formas:

– Influenciando a ligação do cão ao dono ; ou

– Influenciando o nivel de medo sofrido ou o nivel de excitação, refletido pelo nivel de atividade após a saída do dono.

O nível de medo que o cão sofre quando está sozinho pode ser influenciado pela raça, uma vez que há raças que poderão ser mais medrosas que outras.

O comportamento por separação , em alguns casos, começa a ser exibido nos primeiros 30 minutos após a partida do dono, ou frequentemente logo após o cão ser deixado sozinho. Aumenta de magnitude atingindo um pico e diminuindo em seguida, apesar da vocalização poder ser relativamente constante. Este comportamento repete-se em ciclos de 20-30 minutos, Os sintomas podem persistir até o dono voltar, ou , poderá haver uma tendência para os ciclos irem diminuindo de intensidade ao longo do tempo. No entanto, na presença de certos estimulos externos, os ciclos podem recuperar a magnitude e voltar a intensificar-se.

ansiedade3

Numa interpretação clássica sobre a ansiedade por separação, considera-se existir uma ligação extrema do cão com o seu dono. Esta ligação pode ser primária, se o cão mantém o vinculo primário a um individuo para além da puberdade, e está correlacionada com outras carateristicas de imaturidade, ou, poderá ser secundária, se desenvolver em qualquer idade, passando o cão a depender de uma ou mais pessoas do seu meio familiar. Esta ligação poderá acontecer num animal que sofra de um problema emocional, como fobia ou a perda da sua figura de ligação primária.

Algumas manifestações de ligação extrema ao dono são:

– O cão centrar a sua atividade nessa pessoa seguindo-a por todo o lado, mantendo-a sempre á vista;

– Exibir manifestações de stress quando não pode estar junto do dono, estando ele em casa;

– Destruição em casa, por exemplo a porta onde o dono saiu; de objetos com o cheiro do dono

– Vocalização quando separado do dono

Porém, nem todos os cães que sofrem de problemas de separação exibem sintomas de ligação extrema quando o seu dono está em casa. Segundo alguns estudos, verificou-se que os resultados obtidos sugerem que a ansiedade por separação não está necessariamente correlacionada com a ligação extrema do cão ao seu dono, mas que poderá antes ter a ver com um tipo de relação de ligação ao dono diferente, que não lhes permite controlar as suas respostas em situações stressantes.

Cada caso é um caso, e cada situação deve ser analisada, no entanto,  um conjunto de sintomas irá fornecer informações sobre as possiveis causas do problema de separação e o nivel de ansiedade exibido.

– Sintomas como a vocalização ou destruição, indicam uma tentativa do cão em lidar com a situação, e um menor nivel de ansiedade;

– Defecar e urinar, sozinhos ou em conjunção com outros sintomas indicam um nivel mais elevado de excitação e possivel medo. Neste caso, o tratamento deverá ser implementado de forma faseada, exigindo o empenho prolongado do dono, e mudança de hábitos, imprescindivel para a resolução do problema.

ansiedade4

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

artigos relacionados:

You may also like...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *